quinta-feira, 24 de julho de 2008

Sermão: A vitoriosa herança de Calebe

Texto: Josué 14.1-14

Tempo litúrgico: Aniversário das SMM – 20 de julho de 2008


Introdução

Há lutas na história da humanidade que levaram muito tempo para serem vencidas. A vitória dependeu, em muito, da persistência dos que acreditavam nos ideais. Muitas vidas foram perdidas ao longo do processo, mas houve um dia em que a vitória pôde ser proclamada. Uma das mais antigas foi a Guerra do Peloponeso, que aconteceu de 431 a 404 a.C. Foram 27 anos de batalha entre as cidades-estado gregas, provocada pelas disputas entre atenienses e espartanos na Antiguidade Clássica. Recentemente, temos longas guerras civis ainda em andamento, especialmente na África. Existem vários fatores que podem motivar esses conflitos, mas eles devem ser fortes o suficiente para levar até mesmo gerações diferentes a entrar na luta por ideais que consideram elevados.

Na vida cristã, existem batalhas que levamos muito tempo para vencer. Na verdade, lutamos o tempo todo, até que a morte nos traga o descanso enquanto aguardamos o Senhor, ou até que ele volte nas nuvens para levar seu povo escolhido. Jesus disse: “No mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo!” (João 16.33).

A Sociedade de Mulheres da Igreja Metodista existe no Brasil, segundo documentos oficiais, desde 1884, quando teria sido organizada a primeira delas, na Igreja do Catete. Há relatos, porém, que antecipam essa organização em alguns anos, no interior de São Paulo. Certo, porém, é que celebramos oficialmente hoje 124 anos dessa organização.

Subsistir não é fácil. Diz o ditado que existem mil razões para não fazer alguma coisa e apenas uma para fazer. Isto é, quando queremos alguma coisa, não precisamos de muitas justificativas para isso. Um só motivo basta. Precisamos de muitas desculpas é para não fazer.

A história de Calebe

Na história do povo de Deus no Antigo Testamento, há um lindo relato a respeito da perseverança para conquistar algo. É a história de Calebe. Ele foi um dos espias enviados por Moisés à terra prometida. Naquele tempo, ele tinha quarenta anos de idade. Era um homem maduro, no vigor físico e mental requeridos de um soldado. Estava alerta, pronto e saudável. Pronto para lutar e para vencer. Mas seus companheiros de guerra e de espionagem vacilaram. Em Números 13, é contado que eles voltaram de espiar a terra e declararam ao povo como se sentiam diante de seus adversários. Os inimigos eram fortes, altos, grandes e numerosos. Aos olhos deles, os hebreus nômades eram como gafanhotos. E eles se comportaram como gafanhotos, fugindo em debandada diante dos inimigos. Seu olhar era pequeno, bem como sua fé. Por causa disso, não foi possível a conquista. Eles pagaram um preço pela incredulidade. Deus fez uma dura promessa: eles não entrariam na terra prometida. Vagariam pelo deserto por 40 anos até que toda aquela geração morresse e um novo povo, que não fosse rebelde e descrente como eles, veriam a promessa da qual eles duvidaram (Números 14). Todos, exceto Josué e Calebe, os únicos que tiveram a visão de Deus para a conquista. Eles que não se viram “como gafanhotos”, mas como “filhos de Deus”, escolhidos pelo Senhor para a conquista. A eles, deu o Senhor outra promessa: “Porém o meu servo Calebe, porquanto nele houve outro espírito, e perseverou em seguir-me, eu o levarei à terra em que entrou, e a sua descendência a possuirá em herança” (Números 14.24).

Depois de aproximadamente 45 anos, estava Josué à frente do povo, diante do Jordão. Ele mesmo, agora já também idoso. Não sabemos quantos anos ele tinha quando foi espiar a terra. Mas Deus havia prometido que todos aqueles com mais de 20 anos de idade não veriam a terra. Se tivesse por volta de 30 naquela época, já que foi escolhido como um homem experiente para a espionagem e a guerra, teria ele pelo menos uns 75 anos. Estava idoso e um pouco cansado. Imagine o que seja peregrinar sem rumo por 40 anos de sua vida, sem pouso, sem parada, sem uma casa onde morar, sem dar estabilidade à família. Mas a perseverança agora estava sendo recompensada. Diante da terra, na noite anterior à guerra, certamente Josué reviveu tudo o que tinha experimentado. Aquela era a mesma terra, quem sabe o mesmo lugar de onde ele observava ao longe 45 anos antes... E seu colega Calebe se aproxima dele para rememorar as palavras ditas por Deus há tempo tempo atrás. Calebe nos ensina algumas lições importantes para a vitória em nossa vida no dia de hoje. Lições que muita gente do passado também aprendeu e deixou hoje para nós. Lições que quero partilhar, de modo especial, conosco que hoje celebramos 124 anos do trabalho feminino organizado em Sociedades na nossa Igreja Metodista!

Calebe venceu porque guardou a promessa

Imagine Calebe diante daquele povo descrente, há 45 anos. Imagine o furor que deve ter subido ao seu coração no primeiro momento, como um homem corajoso e guerreiro que ele era. Seu rosto deve ter ficado crispado de ânsia pela guerra, pela conquista. Seu coração devia estar cheio de fé na promessa divina. Mas seus companheiros não pensavam como ele e logo desanimaram todo o povo. Ele deve ter insistido, chamado o povo à razão. Um Deus que põe água e carne no deserto, que põe comida à mesa diariamente, que faz milagres incríveis, que abre o Mar Vermelho não pode ser alvo de tamanha descrença! Vamos à guerra!, ele deve ter clamado. Em vão. E o resultado da incredulidade é a promessa de que não poderão chegar ao destino no tempo certo. Que existe mais a esperar. Uma espera mortífera e inútil. Apenas para que uma geração inteira morra. Isso seria de desanimar qualquer um.

“A esperança adiada desfalece o coração, mas o desejo atendido é árvore de vida”, diz Provérbios 13.12. Calebe deve ter lutado muito contra os sentimentos de desânimo ao longo dos anos. Eu, no lugar dele, talvez amaldiçoasse meus conterrâneos, porque a incredulidade deles tirou a minha bênção. Pelo menos, esse pensamento me assaltaria de quando em vez...

Mas Calebe não se deixou amargurar pela incredulidade dos outros. Temos tanta facilidade para guardar as palavras más que nos dizem, mas tanta facilidade em esquecer os elogios. Sabemos dizer quando e como Deus nos provou no passado, mas talvez não tenhamos riqueza de detalhes para descrever o que ele nos prometeu ao longo do caminho. A vitória não é uma batalha rápida, que se vence de uma vez. A verdadeira vitória pode consistir de longas e contínuas batalhas, até que se chegue ao final. Por isso, diziam os generais antigos: “Ganha-se uma batalha, mas ainda se pode perder a guerra”! Vencer requer perseverança, requer um coração forte. Isso não se consegue guardando ressentimentos, mas mantendo o foco nas promessas. Esse era o coração de Calebe, porque ele mesmo declara a Josué: “Quarenta anos tinha eu, quando Moisés, servo do Senhor, me enviou de Cades-Barnéia a espiar a terra; e eu lhe trouxe resposta, como sentia no meu coração; mas meus irmãos, que subiram comigo, fizeram derreter o coração do povo; eu, porém, perseverei em seguir ao Senhor, meu Deus”.

No coração de Calebe não havia espaço para a incredulidade há 45 anos e não havia espaço para ressentimentos 45 anos depois. A hora era de conquista e isso requeria um ânimo de espírito que havia sido forjado em anos e anos de deserto, de luta e de espera.

Que promessas Deus fez a você e a mim e que ainda não foram cumpridas? Você as jogou fora? Você desistiu delas? Ou você as mantém vivas no seu coração, alimentando-as com oração e perseverança, aguardando pelo resultado? As promessas de Deus podem ser como o bambu chinês. Já ouviu falar nele?

“O bambu-chinês (Bambusa mitis) é uma planta da família das gramíneas, nativa do Oriente - Sul da China. Caracteristicas: Possui colmos verde-escuros e folhas compridas e largas, verde-claras. Nome científico: Dendrocalamus latiflorus Utilidade: Fornece material pouco resistente utilizado em marcenaria e cestaria, porém é excelente para lenharia. Os brotos do Bambu Chines, são comestivés 'Variações de nome:'bambu-bengala e bambu-verde. Depois de plantada a semente deste incrível arbusto, não se vê nada por aproximadamente 5 anos, exceto um lento desabrochar de um diminuto broto a partir do bulbo. Durante 5 anos, todo o crescimento é subterrâneo, invisível a olho nu, mas... uma maciça e fibrosa estrutura de raiz que se estende vertical e horizontalmente pela terra está sendo construída. Então, no final do 5º ano, o bambu chinês cresce até atingir a altura de 25 metros” (Wikipédia).

Calebe plantou a semente da promessa divina em seu coração. Todos os dias, ele rememorava o que Deus tinha lhe dito. Essa semente, invisível a olho nu, pois ele continuava peregrinando, se tornou verdade naquele dia, 45 anos depois. Guarde a promessa que Deus fez a você. Ele vai cumpri-la a seu tempo. Tão somente mantenha seu coração focado na promessa, não nas desavenças, nem nas dificuldades. As promessas de Deus são sementes que não morrem...

Calebe venceu porque manteve a resistência

Muitas lutas que enfrentamos podem extrair nossas forças a ponto de desfalecer. O desfalecimento é um grave perigo, tanto espiritual quanto fisicamente. Vemos os atletas que desmaiam depois de longas corridas e sabemos que é muito perigoso, pois o excesso de fadiga pode sobrecarregar pulmões e coração, levando à morte. O cristão deve manter-se no foco da resistência.

Paulo diz: “E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos” (Gálatas 6.9). Em Lucas 18, Jesus conta a história da mulher que constantemente ia a um juiz, até que ele atendeu à sua causa. Lucas nos fala que Jesus queria ensinar-nos sobre o dever de orar sempre e nunca desfalecer.

No Salmo 119.81-83, o salmista faz um paralelo entre a situação difícil que vivia e a disposição em que procurava manter o seu coração: “Desfalece a minha alma pela tua salvação, mas espero na tua palavra. Os meus olhos desfalecem pela tua palavra; entrementes dizia: Quando me consolarás tu? Pois estou como odre na fumaça; contudo não me esqueço dos teus estatutos”.

Dizem que Thomas Edson, o importante pesquisador, considerado um dos mais fecundos inventores da humanidade, após dois anos de experiências fracassadas, ouviu atenciosamente um dos seus colaboradores que, desanimado, argumentou: "Vamos desistir desse invento. Já fizemos 700 experiências inúteis! Não há mais o que tentar!" Thomas Edison teria respondido: "Não podemos abandonar a tarefa neste momento, quando já sabemos que 700 testes não devem mais ser experimentados!" E, insistindo um pouco mais, em outubro de 1879, ele descobriu a lâmpada elétrica, a mesma que usamos até os dias de hoje em nossas casas...

De que você tem desistido? Que orações você tem abandonado por achar que já passou tempo demais sem resposta? Que caminhos ou tentativas você deixou de lado sem tentar um pouco mais? A palavra de Deus diz que o Senhor não tem prazer nas pessoas que retrocedem, mas naquelas que seguem adiante. Um dos versículos que sempre gosto de trazer à mente é exatamente este: “Desembaraçando das coisas que para trás ficam e caminhando para as que diante de mim estão”... Muitas vezes, não resistimos porque ficamos amarrados ao erro do passado. Deus não quer que desistamos, mas que tentemos outra vez. Que mantenhamos a resistência, pois o desânimo, na longa batalha da vida, é fatal!

Calebe venceu porque renovou suas forças

A resistência não é mantida por si mesma. Só adquirimos resistência pelo esforço: o atleta que treina, o jogador de xadrez que exercita a mente para as jogadas, o médico que se aprimora em sua arte de curar são exemplos de pessoas que se renovam na busca por uma performance melhor naquilo que fazem.

Calebe, ao se aproximar de Josué, lhe diz: “E agora eis que o SENHOR me conservou em vida, como disse; quarenta e cinco anos são passados, desde que o SENHOR falou esta palavra a Moisés, andando Israel ainda no deserto; e agora eis que hoje tenho já oitenta e cinco anos; e ainda hoje estou tão forte como no dia em que Moisés me enviou; qual era a minha força então, tal é agora a minha força, tanto para a guerra como para sair e entrar”.

Que coisa maravilhosa! Alguém que mantém suas forças em dia! Calebe não aposentou sua espada enquanto não conquistou o que era a promessa de Deus para ele! Ele treinou e esperou por anos a fio a fim de estar pronto para o que fosse necessário! Sua resistência não era algo apenas motivacional, mas físico, por tomar todo o seu ser!

Quantas vezes achamos que já fizemos o que tínhamos de fazer. Tiramos folga de nossos ministérios, abrimos mão de nossos espaços, achamos que estamos melhor sem fazer nada do que se estivermos envolvidos, nos sentimos cansados pelo serviço de Deus. Achamos que somos novos demais, velhos demais, casados demais, ocupados demais, pecadores demais. E perdemos as forças porque não as usamos!

Calebe venceu porque nunca esteve fora da batalha. Porque não tirou folga, nem amorteceu os músculos. Que homem de 85 anos pode dizer o que ele disse senão aquele que se manteve em forma ao longo de toda a sua vida?

A palavra de Deus diz, em Isaías 40.31: "Mas os que esperam no Senhor, renovarão as suas forças, caminharão e não se fatigarão."

Você tem se sentido cansado de suas lutas? Você tem se desanimado? Tem vontade de jogar tudo para o alto? Isso pode nos acontecer muitas vezes ao longo do caminho, é natural e humano. Mas não ceda a essa tentação ou você não verá a terra prometida! “Descansa no Senhor e espera nele”; “Vinde a mim todos vós que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei” – é Jesus que promete a você que é possível ser renovado em suas forças, é possível continuar no campo de batalha, é possível vencer! Renove suas forças no Senhor e em suas promessas que não falham. “Aquele que perseverar até o fim, será salvo!”, ponha em prática as promessas de Jesus e encontre nele o vigor...

Calebe venceu porque lutou a última batalha

“Agora, pois, dá-me este monte de que o Senhor falou aquele dia; pois naquele dia tu ouviste que estavam ali os anaquins, e grandes e fortes cidades. Porventura, o Senhor será comigo, para os expulsar, como o Senhor disse. E Josué o abençoou, e deu a Calebe, filho de Jefoné, a Hebrom em herança. Portanto, Hebrom ficou sendo herança de Calebe, filho de Jefoné o quenezeu, até ao dia de hoje, porquanto perseverara em seguir ao Senhor, Deus de Israel.” Calebe, em seus oitenta e cinco anos de idade, não permitiu que lutassem a luta final por ele. Ele subiu com seus companheiros e conquistou o monte que Deus havia lhe prometido. Antes, aquele lugar era chamado de Arba, um dos nomes dos grandes entre os gigantes que ali viviam. Era uma homenagem a um ser humano, que embora fosse forte e valente, era apenas humano. Mas Calebe deu a sua herança um novo nome, um nome significativo e que nos revela o caráter de vencedor que havia neste homem de Deus. Hebrom significa união, aliança. Sinaliza não somente que Calebe não teve sua vitória final sozinho, mas que ele a partilhou com seus companheiros de luta e com Deus, seu Senhor. A conquista verdadeira é aquela que vem como resultado de uma aliança feita com o Deus verdadeiro. Uma aliança perene, que resiste à incredulidade ao nosso redor, que resiste aos castigos impostos pela vida, que resiste às tempestades e lutas do deserto, que resiste ao tempo e encontra seu cumprimento em Deus.

Calebe venceu porque guardou a promessa, porque manteve a resistência, porque renovou as forças e porque lutou as batalhas que havia para lutar. Eu e você também podemos usar esses mesmos princípios espirituais para vencer nossas lutas hoje. Para continuar no caminho dos que creram antes de nós e para deixar uma herança para quem vier depois. Que sejamos Calebes para nosso tempo. Quando todos deixarem de crer, creiamos. Quando todos desanimarem, alimentemos nosso coração com as promessas. Quando todos se cansarem, renovemos nossas forças. E a vida ao redor se extinguir, prosseguiremos vivos para sempre. Não se trata de nós, mas do Deus que é fiel em suas promessas... Quem viver, verá! Quem será?

11 comentários:

  1. as histó rias de calebe é bonitas

    ResponderExcluir
  2. Olá Hideide, obrigado por postar um sermão tão precioso como este... que talento incrível Deus te deu hen! Parabéns, e continue assim, sendo vaso grandemente usado nas mãos do SENHOR, para abençoar e edificar vidas através da Poderosa e Imutável Palavra de Deus

    A Paz do Senhor Jesus...
    Paulo Dantas (dantas5486@hotmail.com)

    ResponderExcluir
  3. muito linda a história de calebe

    ResponderExcluir
  4. A palavra abençoada, tudo o que estava precisando ouvir para perseverar no caminho do Senhor e continuar crendo em suas promessas , gosto muito da historia de Cabele já varias vezes e a cada leitura Deus fala diferente... este exemplo de perserverança e fidelidade ao SENHOR, colocou em mim o desejo de chamar meu futuro filho de Cabele, pois quero cria-lo nos ensinamentos do SENHOR.
    A paz de Cristo !!!
    Se caso quiser saber um pouco minha história de vida e Testemunho...(j_mn_19@hotmail.com)
    Um forte Abraço !!!
    Deus te Abençõe Sempre !!!

    ResponderExcluir
  5. MARAVILHOSA A HISTORIA DE CALEBE,A QUAL FOI MUITO BEM NARRADA POR VOCE.PARABÉNS

    ResponderExcluir
  6. Estava procurando sobre o significado do nome calebe,dai achei a historia dele contada por você.e
    Eu estava querendo colocar o nome do meu bebe se for menino de calebe.Agora não tenho mais dúvida se for menino será CALEBE(perseverante,fiel,lutador,guerreiro,resistente e vencedor)quer um nome mais lindo do que esse? O seu sermão me fez acordar pra vida novamente e não desanimar diante das dificuldades,orar sempre e não desistir jamais!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom esse artigo e que Deus possa usa-la para abençoar muitas vidas

    ResponderExcluir
  8. que nós possamos com certeza de que estaremos fazendo a coisa certa seguir o exemplo de calebe pois ele realmente era um grande homem de DEUS esperando sempre no nosso criador no nosso mestre pois suas bençãos são muito maravilhosas para nossas vidas e só esperando vamos ver o que realmente ele tem preparado para nós e não precisa vc ficar 40 ou 45 anos esperando como aconteceu com calebe mais só confia e espera no senhor que ele vai com certeza derramar suas bençãos em sua vida fique com DEUS e entrega por favor toda a sua vida nas mãos dele pois ele vai te guiar pelo caminho certo (célio)

    ResponderExcluir
  9. Linda mensagem, foi a confirmação de uma mensagem que estava preparando para ministrar. Que Deus o abençoe e que possamos perseverar como Calebe.

    ResponderExcluir

REVISÃO DE TEXTO COM PERSONALIDADE