Postagens

21 Dias de Oração - Mês do Coração Aquecido

Nestes próximos 21 dias que antecedem à Comemoração do Coração Aquecido, senti no meu próprio que deveria pensar no ministério ao qual eu fui chamada com mais intensidade e consagrar a Deus mais uma vez a minha vida neste sentido. Eu me senti particularmente desafiada pelo “Discurso ao Clero” de Wesley e vou usá-lo como base para esses pensamentos. Também decidi dar uma estudada em seus sermões, cartas e trechos em que fala de sua própria vocação. Para fazer isso direito, peço permissão para fazer uso da linguagem inclusiva, porque no tempo dele não havia pastoras. No “Discurso ao Clero”, ele começa perguntando: “Que tipo de homens (pessoas) devemos ser? Somos deste tipo ou não?”.
Dia 1: O tipo de pastor e pastora que ajuda as outras pessoas a avançar Leitura bíblica: "Dos filhos de Issacar, conhecedores da época, para saberem o que Israel devia fazer, duzentos chefes, e todos os seus irmãos sob suas ordens" (1Cr 12.32). Reflexão: Wesley diz que é preciso que o clero tenha “um …

O papel das gentes grandes na vida cristã das crianças

Imagem
Há uma história sobre um homem que foi a uma loja de virtudes. Ele queria comprar amor, fé, bondade, perdão. O anjo que atendia ao balcão lhe deu um pote de cada pedido. Ressentido, o homem reclamou que nada do que havia pedido estava pronto. O anjo respondeu: “Senhor, aqui só vendemos sementes”. Na vida de toda pessoa cristã existem sementes. Nós as recebemos de nossos pais, mães, parentes, membros da igreja, pessoas que perpassam nossa história nos trazendo um pouco de Deus (2Tm 1.5). Nós as ministramos sobre nossas crianças. O processo da semeadura é a expressão bíblica para a inserção da palavra na vida de qualquer ser humano. Há até mesmo uma expressão teológica chamada “lei da semeadura”, mediante a qual só poderemos colher o que plantamos (Gl 6.7-8). Quem planta amor, colhe amor. Quem planta perdão, recebe perdão e assim por diante. É claro que depende bastante da semente plantada. Mas a colheita também sofre os fatores do solo, do tempo, do cuidado do semeador (veja todas as p…

Preparar a Páscoa, preparar a vida (Lucas 22.7-18) - Sermão pregado na IM Asa Sul, 05 de março de 2017

Imagem
Esses dias, desde a quarta-feira de cinzas, são celebrados em todo o mundo cristão como o tempo da Quaresma. Dizem os estudiosos que a Quaresma é um período muito mais guardado e marcante para a Igreja Oriental, especialmente a partir do século IV depois de Cristo. Nesse período, os cristãos e cristãs refletiam sobre os 40 dias que Jesus passou no deserto, se preparando para o início de sua missão. Esses 40 dias são lembrados pelo povo cristão antes da Páscoa, que é o tempo da crucificação, morte e ressurreição do Senhor. Na Bíblia, não temos a palavra “quaresma”, mas dá para perceber que havia um tempo de preparo da Páscoa. No Antigo Testamento, há instruções para a preparação da Páscoa em Êxodo 23, Levítico 23 e Deuteronômio 16. Se três dos cinco livros do Pentateuco fazem referência ao momento, isso mostra sua relevância e importância para o povo! Os preparativos incluíam instruções específicas sobre o motivo da festa, o que comer, onde comer, onde celebrar e quais as pessoas que …

Ministério pastoral: especial e essencial

Imagem
Ser pastor e pastora é uma alegria, um privilégio e um desafio. A Igreja Metodista diz que para ser exercido ele requer vocação e reconhecimento. Vamos saber mais sobre isso à luz da Palavra e dos documentos da Igreja.

“O pastorado é um dentre os ministérios da Igreja. É uma instituição apostólica que consagra e ordena pessoas vocacionadas e reconhecidas pela Igreja. Esse ministério, desde o Novo Testamento, passando pela Reforma até hoje, está voltado para a unidade do corpo de Cristo, para a correta ministração dos sacramentos, para o zelo na pregação da palavra. além de outras tarefas pastorais”. É assim que o Colégio Episcopal da Igreja Metodista definiu, na carta Dons e ministérios, espiritualidade e serviço, publicada em 1997, na página 20, como entende o ministério ordenado.
Homens e mulheres são chamados por Deus para perto de si. Todos eles e todas elas são convidados igualmente à salvação e ao serviço. Porém, cada pessoa é enviada ao serviço de Deus conforme o dom que receb…

Uma igreja digna do seu nome (Atos 11.19-26)

Sermão do culto de posse na Oitava Região Eclesiástica da Igreja Metodista Brasília, 04 de fevereiro de 2017
Na cultura bíblica e também na nossa, o nome é algo muito importante. Ele está ligado a tradições de família, histórias que cercam o nascimento, memórias a resgatar... Do mesmo modo, a gente aprende a preservar o nome: “não pode ter nome sujo na praça”; “tem que honrar o nome da família”. O nome marca, qualifica, dignifica ou traz desprezo, opróbrio... Muitos exemplos encontramos, desde Esaú, Jacó, Jesus, até Icabode, cujo nome marca um momento de derrota e tristeza. Certa vez, Alexandre, o Grande, conquistador da Grécia, julgou um jovem que havia abandonado o campo de batalha. Era um soldado novo, coitado, inexperiente... mas a acusação era grave. Então, o conquistador perguntou: Como é o seu nome, garoto? E o jovem respondeu: Alexandre, senhor! Então Alexandre ergueu-se e exclamou com o dedo em riste: “Então, mude seu proceder ou mude de nome!”. Um covarde não poderia ser ch…

"A quem me confessar..." - promessas em Mateus 10.32-33

Imagem
Dietrich Bonhoeffer, escrevendo da prisão para um de seus estudantes, à luz de 2 Coríntios 1.20 (“Quantas forem as promessas feitas por Deus, tantas têm em Cristo o ‘sim’. Por isso, por meio dele, o "Amém" é pronunciado por nós para a glória de Deus”), declarou: “Deus não cumpre todos os nossos desejos, mas todas as suas promessas”. É o conhecimento das promessas de Deus que mantém nosso firme propósito e nos recoloca na intenção dos desígnios realmente importantes para Deus, com os quais Ele mantém Sua Palavra. Nesses tempos atuais, em que proliferam teologias e práticas que têm o ser humano como centro, que focam nas nossas necessidades e no que queremos, prometendo coisas que Deus não promete, é bom entender a diferença entre nosso desejo e o compromisso de Deus para conosco. Como dizia a minha mãe, é preciso saber a diferença entre o que você quer e o que você precisa. A Palavra de Deus é nosso norte e o Espírito Santo é nosso guia para essa jornada. Porém, nem sempre é…

Chamado e envio

Imagem
Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça. (João 15:16)
Quando falamos a respeito de nossa tarefa vocacional, normalmente a conceituamos como “chamado”. Recentemente, durante um encontro de famílias pastorais, o pregador wesleyano Elizeu Gomes nos apontou uma possibilidade interpretativa muito interessante, a qual ainda não me ocorrera, sobre o tema do chamado. Ele disse que a gente costuma confundir-se, pois Jesus nos envia ao ministério – seja o leigo ou o clérigo – mas o Seu chamado é um só. O chamado a estar com Ele, em relacionamento. Se somos capazes de nos manter de modo atrelado ao relacionamento, descobriremos sempre a capacidade de acatar o envio. Esse seria o “segredo” de uma vida bem-sucedida e de um ser preenchido pela alegria e o gozo divinos. Concordo com essa perspectiva. Ela me anima e me enche de esperança. Quero compartilhá-la com você, a quem Jesus também convidou para a grande av…