Lembre-se de mim

Lembre-se de mim neste pão que te alimenta
Pois eu, muitas vezes, ainda sinto fome.
Lembre-se de mim neste cálice tão doce
Pois minha boca está seca de tanta sede...
Lembre-se de mim porque esta refeição
É para recordar tudo o que vivemos juntos
E uma promessa do que poderemos ainda viver.
Mas ao mesmo tempo, é um compromisso
De que enquanto alguém ainda sentir fome
De pão, de afeto, de justiça e de acolhida
Então a mesa ainda não está pronta
E falta alguém para ser servido.
E enquanto houver quem sinta sede
De perdão, de paz, de água, de vida
Então a gente tem que seguir lembrando.
Lembre-se, não esqueça, não se permita esquecer
Porque de nada adiantam opiniões e polêmicas,
Mas atitude muda tudo.
Não foi por acaso que eu quis esta lembrança:
Em torno da mesa somos todos humanos
Todo mundo sente fome e sede.
Todo mundo quer amar e ser amado.
Todo mundo pode ajudar a servir.
A mesa é o espaço onde nossa fragilidade
Pode ser superada pela solidariedade
Lembre-se de mim, que eu sou gente como você
E sofro, e sinto, e choro, e preciso...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Isaías 6.1-8 A brasa do altar

O sonho de Jacó (Gênesis 28.12)

Pagar o preço