Chamado e envio

Vós não me escolhestes a mim mas eu vos escolhi a vós, e vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça. (João 15:16)

Quando falamos a respeito de nossa tarefa vocacional, normalmente a conceituamos como “chamado”. Recentemente, durante um encontro de famílias pastorais, o pregador wesleyano Elizeu Gomes nos apontou uma possibilidade interpretativa muito interessante, a qual ainda não me ocorrera, sobre o tema do chamado. Ele disse que a gente costuma confundir-se, pois Jesus nos envia ao ministério – seja o leigo ou o clérigo – mas o Seu chamado é um só. O chamado a estar com Ele, em relacionamento. Se somos capazes de nos manter de modo atrelado ao relacionamento, descobriremos sempre a capacidade de acatar o envio. Esse seria o “segredo” de uma vida bem-sucedida e de um ser preenchido pela alegria e o gozo divinos.
Concordo com essa perspectiva. Ela me anima e me enche de esperança. Quero compartilhá-la com você, a quem Jesus também convidou para a grande aventura da Grande Comissão – ir por todo o mundo e contar a boa notícia a todas as pessoas, ensinando e cuidando delas até o fim dos tempos. Trata-se de uma maratona. É preciso preparo para uma corrida de uma vida. A motivação genuína é fundamental...
Eu escolhi vocês – é o chamado. Ele significa que Deus, em Cristo, tem para nós um olhar especial. Como metodistas, cremos que Deus não tem pessoas favoritas, que Ele chama a todas elas para um relacionamento com Ele. Mas, ao mesmo tempo, Ele reconhece em cada uma sua especial forma de ser, sua singularidade – e Ele dá valor a isso especialmente. Lembro-me de uma história lida em o No Cenáculo, na qual a pessoa que escrevia contou sobre uma dinâmica na qual todos receberam um papel com um número escrito. A pessoa que tirasse o número 1 ganharia um prêmio. Ao abrir o papel, ela ficou feliz em sentir-se premiada. Ao olhar ao redor, contemplou que todos os participantes estavam com a mesma cara de surpresa e felicidade. Em todos os papéis estava escrito o número 1. Todos receberam uma lembrancinha, na qual se lia: “Para Deus, todas as pessoas são número 1”. Você e eu somos resultado de uma escolha de Deus: em nos criar, em nos chamar, em nos designar. Devemos reconhecer este valor em nós e nas pessoas ao nosso redor.
Eu designei vocês – é o envio. Ser a escolha é receber o relacionamento vital que capacita. Receber a designação significa que Deus reconhece a capacidade humana e a potencializa pelo Seu Espírito a realizar aquilo que nós apenas não poderíamos. Receber a designação de Cristo para a tarefa missionária e transformadora de vidas é um privilégio a compartilhar. Viva sua tarefa missionária sabendo que a coisa mais importante é que Cristo chamou você para estar com Ele. Encha-se desta alegria e esperança. Há muita gente carente dela. Não confie demais no que você pode fazer, mas regozije-se pelo que Deus, em Cristo, quer ter com você e lhe conceder: uma vida plena! Assim, quando for difícil fazer, corra para perto Dele outra vez e encha-se de novo desta chama viva – Seu chamado para perto.

A designação de Cristo, resultado de Sua escolha, gerará frutos em nós e por meio de nós. Os melhores frutos que uma pessoa cristã pode produzir são outras pessoas com esta mesma experiência vital de salvação, plenitude e relacionamento com Cristo. É maravilhoso o que Ele fez e tem feito em minha vida. Quero compartilhar isso com frutos em sua vida. Convido você a passar isso adiante. Temos um vasto território para ir hoje mesmo. Nosso mundo começa nos limites da Oitava Região. Cristo conta com a gente! Simbora?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sonho de Jacó (Gênesis 28.12)

Isaías 6.1-8 A brasa do altar

Pagar o preço