Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2009

Como crerão se eu não creio?

Imagem
Tem sido difícil falar de Jesus às pessoas. Elas não querem absolutos. Quando dizemos que sem ele a única rota é a da perdição eterna, somos tachados de radicais e intolerantes. Mas se abrimos mão de nossa fé, se nossa confiança for abalada pelos relativismos deste mundo, o que nos restará? Longe de mim querer com isso afirmar a salvação ou a perdição de alguém. Só creio que o meu salvador é bom. Minha salvação depende de minha confiança na capacidade do meu salvador em salvar. E ele é bom nisso, bom de verdade, essencial! De fato, não encontrei ninguém melhor do que ele para me salvar. Ou para salvar qualquer um. Isso devia ser tão simples quanto defender um time de futebol. Ninguém contesta sua preferência, mesmo quando não concorda com ela. Mas querem que eu diga que meu time é tão bom quanto qualquer outro. E isso, sinceramente, não posso, não quero, nem devo fazer. Se tenho o melhor de todos os técnicos, se creio completamente em suas estratégias e procuro obedecer a todas as sua…

Ainda vai levar um tempo...

Imagem
Existe uma música popular que diz: "Ainda vai levar um tempo, pra fechar o que feriu por dentro. É natural que seja assim..." A sabedoria popular é correta. Sarar leva tempo. Quando a gente pensa que sarou, esbarra no machucado e ele sangra novamente. É hora de repor o band-aid, de repassar a pomada ou revisitar o doutor. É preciso tratar enquanto não sara de vez. De vez em quando, a trombada será mais forte e podemos chorar de novo a mesma ferida, quando ela abre, sangra e parece que nunca cicatrizará. Mas um dia, a gente acorda e estão lá apenas as cicatrizes. Elas nos mostram tudo por que passamos. Elas nos indicam que é impossível esquecer, porém, a marca é lembrança e não doerá novamente. As cicatrizes são a graça de Deus que nos mostram que a cura é possível. Quando uma ferida sangrar hoje, devo olhar para as cicatrizes que tenho e crer. Amanhã vai ser diferente... Ainda vai levar um tempo, mas esse tempo é kairós, é tempo de Deus. Sua cura virá, como o alvorecer da au…

RAZÕES POR QUE NÃO GOSTO DA CRUZ

Imagem
Dia desses, recebi um e-mail de uma pastora amiga, contando um episódio em que uma pessoa manifestava seu desafeto em relação à cruz, abominando-a como símbolo do Cristianismo. Em diversos altares de Igrejas, já se vê retratos de pastores e bispos, ou grandes propagandas das últimas campanhas, mas a cruz não está mais lá. Pasmados, alguns descobrem que existem cristãos que, de fato, não gostam da cruz. Eu também não gosto... Quem gostaria? E passo a explicar o porquê em razões sucintas, com fonte bíblica, para justificar meu desgosto.
1. Eu não gosto da cruz porque ela me mostra o custo do meu pecado. Sim, de fato, “Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Rm 5.8). No mundo de hoje, ninguém mais gosta de ser chamado de pecador. Quero falar da ressurreição, mas bem que eu queria ignorar que, para acontecer tal vitória, houve antes um terrível preço...
2. Eu não gosto da cruz porque ela me exige compromisso: Gosto de ir e vir à igreja, mas é muito difícil assumir os votos feitos…

As tentações do sofrimento (Revista Ultimato)

O homem está sujeito a inúmeras tentações: tentações do egoísmo, tentações do ódio, tentações do orgulho, tentações do dinheiro, tentações da lascívia e assim por diante. Mas ninguém se lembra das tentações do sofrimento. Elas também existem. Quando mal enfrentado, o sofrimento pode levar ao álcool, às drogas, ao desespero, à apostasia, à descrença e ao suicídio. “O sofrimento sempre significa tentação e até o homem piedoso está sujeito a se revoltar passageiramente contra Deus”, avisa o teólogo alemão Josef Scharbert. Em seu livro O Problema do Sofrimento, C. S. Lewis explica que “o sofrimento como o megafone de Deus é um instrumento terrível, podendo levar à rebelião final, que não dá lugar ao arrependimento”.

Este artigo pretende nomear e analisar as tentações do sofrimento.


A tentação da apatia

A apatia é uma das conseqüências da frustração. É ausência de sentimento e de resposta aos apelos emocionais. Algo como indiferença, desinteresse e entorpecimento emocional.

Não se pode confund…