Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2010

Santidade de propósito e de vida

William Wilberforce era um jovem parlamentar que estava em pleno mandato quando João Wesley morreu. Ele teve uma profunda experiência com Deus e pensou em abandonar a carreira política e dedicar-se à vida religiosa integralmente. João Wesley lhe mandou uma carta, poucos dias antes de morrer, dizendo a ele que Deus o tinha chamado para, como político, servi-lo e honrá-lo vencendo a escravidão na Inglaterra.
Muita gente associa o chamado de Deus a uma ação pastoral ou ministerial. Não pensa que, sendo membro de Igreja, tem a mesma responsabilidade que a do pastor ou pastora: testemunhar, santificar-se, viver a palavra. Há pessoas cujo chamado é, a seu ver, apenas quando está à frente, liderando. Não é capaz de sentar-se e, de fato, ouvir. Mas a fé vem pelo ouvir. Às vezes, em nossas reuniões, nós, pastores e pastoras, nos queixamos exatamente do oposto disso tudo. Que gostaríamos de sentar, relaxadamente, de coração aberto, e ouvir uma ministração profunda, verdadeira, real, que nos enl…

Restitui...

Terça-feira passada, cantaram na igreja este hino, que a certa altura, diz: "Restitui, eu quero de volta o que é meu. Sara-me, põe teu azeite em minha dor". Sim, há momentos, situações e sentimentos em relação a minha vida, ao meu coração e a Deus que eu gostaria muito mesmo de ter de volta. Mas, pensando bem, eu gostaria de ir além, quero que Deus restitua não o que é meu, mas o que é dele. Quero de volta não o que eu tinha, mas o que Deus planejou para mim. Na verdade, talvez a memória que tenhamos do que foi bom para nós seja enganosa, quando o presente nos atribula. E, de fato, a nostalgia religiosa (os tempos antigos é que eram bons) é tão ruim e perigosa quando o ufanismo atual (os outros do passado não tinham a verdade, nós é que temos!).
Para ter de volta o que Deus tem para nós desde o início, temos de fazer algumas confissões. Não estamos vivendo o avivamento, estamos fazendo barulho - e diga-se de passagem, um barulho ruim. Nossa pregação cristã anda muito mistura…

Uma hora tão triste (Ricardo Gondim)

O Getsemani foi a tua hora mais triste. Suaste sangue em teu exílio no fundo do outeiro. Foste traído. Estavas só, rodeado de amigos sonolentos.

Também vivo o meu exílio. A minha hora mais triste se arrasta faz anos. O dia mau chegou não sei quando, e se alonga perigosamente. Tenho medo. Não, não temo transpirar sangue, a ferocidade do sofrimento me amansou. Já me acostumei. Receio perder o rubor, embaçar os olhos e amargar a boca.

Minha dor lateja, queima, lacina. Enfraquece e rouba a iniciativa. Sem fôlego, converso sem graça. Para distrair, ando em círculo, deito na rede, abro a geladeira, corro os olhos no livro. Depois de cinco páginas, dou-me conta, enquanto lia pensava no vazio. Saio e dirijo, mas não lembro por onde passei. Deito e os pensamentos se desorganizam. A memória vira vulcão. Projetos mal acabados, decepções amorosas, espetadas de ex amigos, delírios religiosos, tudo explode e não concilio o sono.
Tento polir o passado com a ponta dos dedos, cerzir os…

Cansaço de alma

Imagem
"Minha dor e a causa dela.
A ninguem ouso falar." (Camões)

Existem dores que não são do corpo, não se curam com remédios, não desvanecem com terapias. São dores de alma. A alma, quando dói, só quem sente é que sabe. Não há lágrimas que sejam suficientes. A sensação de dor é tátil, mesmo quando o corpo não traz marcas, nem cortes. Já senti umas dores de alma... algumas até me parecem mesmo que são eternas. Paulo resolveu seu dilema de dor de alma, dando a ele um propósito: para não engrandecer-se diante das revelações recebidas. Era para isso que servia seu "espinho na carne", sua dor insuperável.
Também tenho tentado achar um propósito para as minhas: aprender a compadecer-me. Já fui muito arrogante e dona de uns pensamentos que não devia ter - pensamentos que me levaram a julgar indevidamente situações e pessoas. Até a sentir-me inalcansável por certas coisas que pareciam só acontecer a outros. Até que alcançam, já que todos somos humanos e, no fim, nossas dores…

Quando ninguém está vendo...

Reputação é o que as pessoas pensam a meu respeito. Caráter é o que eu sou quando ninguém está me olhando.
O que você faz quando ninguém está olhando? Você trabalha tão intensamente quando ninguém está observando você? Você é confiável e responsável mesmo quando nenhum par de olhos está vendo você?
Uma vida bem-sucedida depende do que você faz quando se tem absoluta certeza de que ninguém está vendo. O atleta olímpico que ganhou uma medalha de ouro e que teve sua apresentação assistida por milhões de pessoas ao redor do mundo é o mesmo que investiu muitos anos de treinamento quando ninguém estava olhando. O empreendedor milionário e bem-sucedido investiu anos e anos de trabalho quando ninguém estava vendo.
O que você está fazendo hoje quando ninguém está olhando?
“Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.” (Salmo 139:23-24)
(Não sei a autoria, mas esta é uma excelente reflexão...)