Caixa de primeiros socorros do amor (sermão de casamento de Uiara e Jean)



Todo relacionamento, para se manter saudável, precisa de uma caixa de primeiros-socorros. É que, como tudo na vida, incluindo nossos corpos, o amor é frágil e, apesar de sua capacidade de resistência inegável, pode se ferir. E para que ele se cure sem maiores sequelas, é preciso cuidar. Quem ama, cuida, não diz o ditado? Algumas coisas não podem faltar nessa caixa para que o amor tenha sempre toda saúde possível:
1.       Estetoscópio: tudo bem que não é uma coisa de primeiros socorros para se ter em casa, mas para que o amor seja bem-sucedido é preciso ouvir o coração. Ouvir o seu e ouvir o do outro. Necessidades precisam ser expressas – a gente tem que falar sobre o que nos aborrece. Para os homens, isso parece meio desnecessário, mas as mulheres precisam falar... e se um homem ama uma mulher, ele aprenderá a ouvir. Tanto o que as palavras dizem quanto o que também fala o corpo, a entonação da voz e até o silêncio. No livro “Amor e respeito” o autor diz que quando uma mulher para de falar, é porque o casamento acabou... enquanto ela está falando, isso significa sua luta para uma vida feliz, para que o relacionamento seja bem-sucedido. E o coração do outro é algo para se conhecer profundamente, para examinar, para auscultar.
2.       Gaze e esparadrapo: se na caminhada o amor se ferir, é preciso tratar. Feridas não cuidadas infeccionam a mente e o coração, inviabilizam o perdão e podem levar à impossibilidade da cura, do restauro. Podem matar a vida a dois. Tem gente que não perdoa. Se não dá pra perdoar, também não dá pra amar. O perdão e o diálogo são a gaze e o esparadrapo da vida a dois. Eles cobrem a ferida de modo a protegê-la até que se cure. Eles não deixam que o ressentimento, a mágoa, o desejo de vingança e os dados inflamados de Satanás alcancem a ferida. É inevitável que a gente, em algum momento, entristeça, desagrade ou desaponte o outro. Isso pode acontecer, mas não de modo consciente, premeditado. Gaze e esparadrapo falam também das feridas de nossa vida pessoal, quando entramos no casamento. Tem gente que traz pecados, vícios, problemas, traumas emocionais, iras de relacionamentos anteriores para dentro do novo e acabam abrindo novas feridas. Busque sua cura pessoal antes que você machuque o outro. Cuidar de si mesmo é importante para cuidar de alguém. E casamento é cuidado mútuo, entre outras coisas.
3.       Mertiolate/antisséptico: o antisséptico é um medicamento que serve para combater as infecções. Ele é preventivo. Antigamente, o mertiolate ardia... tem gente que fala que ele curava mais antes, por causa do ardido. Podemos dizer que o antisséptico é aquela parte do casamento em que a gente investe preventivamente em si mesmo e no outro para garantir a saúde do casamento. Tem gente que não tira férias, que não curte os momentos, que vive em função do trabalho e nunca relaxa. Pra casar e, depois, se quiserem ter filhos, o casal tem que entender que precisa encontrar tempo. Não adianta falar apenas em tempo de qualidade, mas tempo de quantidade também. Prevenir as infecções, evitar as gangrenas e amputações da vida a dois. Cuidar da saúde da alma e do corpo. Investir em coisas que os dois gostam e que cada um gosta também. Cuidar de si mesmo – fazer um esporte ou uma atividade que dá prazer. Manter o tanque cheio. Tudo isso é preventivo. Evita que a gente se desgoste da vida, que desgoste do outro. Ter tempo para ver um filme, para ver as flores, para ver a vida. Tempo para ser feliz. O tempo é um importante mertiolate da vida – ele previne adoecimentos da modernidade, como a depressão, o estresse, a síndrome do pânico e outras mais.
4.       Termômetro: cada casal precisa aprender a ter seu termômetro, particularmente quando as discussões querem imperar ao invés do diálogo. Quando o clima esquenta, é hora de tomar um antitérmico. No calor da ira, da angústia, da dor a gente fala o que não deve – delira em coisas fora da realidade; tem alucinações de desconfiança e quebra da aliança. Tem muito homem delirando e tendo alucinações com mulheres que não existem, seja na televisão, seja na internet... tem muita mulher delirando e tendo alucinações de que vai conseguir mudar o seu marido para que ele se torne o cara que ela tem dentro da cabeça dela. Termômetro nos fala da importância do equilíbrio, da lealdade, do reconhecimento, do respeito. De valorizar as qualidades do outro sempre mais do que os defeitos. De não deixar a temperatura subir ao ponto de não ter mais jeito. Amor, quando vai para o CTI... é porque faltou prevenção, cuidado e vigilância antes...
5.       Luvas cirúrgicas: o amor é delicado. Não dá pra pegar nele com mãos sujas. As luvas nos falam da pureza do coração e da vida. Luvas falam da lealdade. Precisamos ser leais à pessoa amada. E aqui não estou falando de traição, de arrumar outra pessoa. Estou falando de colocar a pessoa amada no centro dos nossos interesses, de tê-la como um tesouro de Deus na nossa vida. Tem gente que casa e esquece a lealdade. Qualquer pessoa que ocupa um espaço mais importante na nossa vida do que a pessoa amada, exceto Deus (e mesmo assim, cuidado com a forma com que interpretamos isso!!!), trata-se de deslealdade. Não dá certo. Às vezes, falamos mais de nossa vida, de nossos sonhos com as pessoas de fora do que com nosso cônjuge. Tratamos nossos problemas publicamente, no twiter e no facebook, expomos o outro ao julgamento alheio, falamos de nossa vida pra todo mundo. Isso é desleal. A lealdade pressupõe proteger o outro, mantê-lo limpo de difamações. Não deixar que ninguém além do conselheiro de confiança saiba das dificuldades. Porque elas passam para nós, mas os outros desenvolvem seus olhares julgadores.
6.       E apesar de não ter nada a ver: nesse kit de primeiros socorros também tem um carimbo! O carimbo é a garantia da qualidade do amor. Ele é um atestado de propriedade. O texto de Provérbios diz: Põe-me como selo sobre o teu coração. É a mesma coisa de dizer: Carimbe meu nome no seu coração. Deixe que todos saibam que você é meu e eu sou sua. O carimbo também atesta que vocês dois pertencem a Deus e ele é quem cuida de vocês. O carimbo é o selo de garantia de Deus. Não deixem que esse carimbo se perca, ou que a tinta dele se apague. Só assim, com esse kit de primeiros socorros, sua vida a dois poderá ser sempre saudável, porque nenhuma ferida, nenhum machucado, nenhum arranhão e nem mesmo o mais grave acidente de percurso ficará sem tratamento. Porque este kit é produzido na vida de vocês pelo médico dos médicos, aquele que cura almas, mentes, corações. O único que nos dá a receita da vida eterna. Jesus, o amado de nossas almas...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O sonho de Jacó (Gênesis 28.12)

Isaías 6.1-8 A brasa do altar

Pagar o preço