Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2012

Contando os dias

Salmo 90

Ano que vem faço 40 anos. Mulheres não gostam de dizer sua idade, mas este é um dia que, imagino, será especial. Meu amigo, Moisés Coppe , escreveu uma crônica acerca de seu aniversário de 40 anos, regada a poesia de Adélia Prado e desejos por comida. Li esses dias mesmo... e fiquei pensando em como vou me sentir. Eu me lembro de que, aos quinze anos, quando eu via alguém com sessenta, imaginava-o muito velho. Agora, o tempo se mostra tão relativo! Quando se tem quarenta, nos pegamos falando de alguém que morreu aos setenta: “Meu Deus, morreu tão novo...”
Basicamente, quarenta é a metade da expectativa média de vida que a maioria de nós tem. Meu amigo Moisés diz que achou cabelos brancos na cabeça – eu, esperta, estou ficando loira, como toda boa mulher... Cabelos brancos são sinais de sabedoria no povo da Bíblia. Para nós, pobres mortais do século XXI, a velhice representada pela brancura das cãs (para usar o texto bíblico) tem se tornado zona de desconforto, esquecimento e o …

A vocação e suas exigências

As exigências da vocação
Está claro para todas as pessoas que o chamado de Deus, seja em que área da vida for, coloca sempre exigências fortes para nossa caminhada, algumas vezes exigências definitivas, que mudam todo o curso da vida. Um dos exemplos mais contundentes talvez seja o do primeiro patriarca de Israel, Abraão. Deus, quando chamou Abrão, também confiou-lhe uma missão. Qual é ela? Ser uma bênção! Mas, que tipo de vocação é essa? A vocação de Abrão era dar origem a um povo, mas não qualquer povo. Seu chamado era para dar aos seus descendentes a identidade de "povo escolhido de Deus"! A missão de Abrão exigiu sacrifício Abrão não era nenhum adolescente quando foi chamado por Deus. Setenta e cinco anos! Mas Abrão resolveu encarar o desafio que a missão confiada por Deus a ele exigiria. Para dar início a um novo povo, Abrão teve de abandonar sua antiga terra, cultura e tradição (Gênesis 12.1). Ele saiu do meio de sua casa, de sua parentela, para peregrinar pelo deserto …

Uma letra de canção antiga, ainda sem melodia...

“Então, disse-lhe (Moisés a Deus): Se a tua presença não for conosco, não nos faças subir daqui.” (Gn 33.15)
Eu não quero ir sem ti Não me faças ir sem ti A nenhum lugar! No oásis ou deserto Sem tua presença perto Não posso continuar
Só tua presença pode garantir a plena segurança Só sob tuas asas eu encontro toda a minha confiança!
Eu não quero ir sem ti Eu não posso ir sem ti Eu não sou nada sem ti Eu te preciso! Só tu és o meu Deus! Eu te preciso Só tu és salvador!
Vem estar comigo, ó Deus A cada passo meu!

A capa do meu livro...

Imagem

Espinho na carne...

"E, para que não me ensoberbecesse com a grandeza das revelações, foi-me posto um espinho na carne, mensageiro de Satanás, para me esbofetear, a fim de que não me exalte. Por causa disto, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim. Então, ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo" (2 Coríntios 12.7-9). A graça que se aperfeiçoa na fraqueza é um dos maiores paradoxos da fé cristã. Eu gostaria que a dor mais profunda da minha alma fosse vencida uma vez para sempre. Mas de vez em quando ela se torna mais aguda. Tenho vivido com essa luta toda a minha vida. Às vezes me revolto, às vezes não entendo... mas a maioria das vezes, lá na frente, vou me deparar com alguém vivendo coisas semelhantes e aí eu entendo: sou capaz de entender de verdade, porque já vivi aquilo. E tendo passado uma vez mais, sou capaz de encorajar e dar esperança. Deus…